Morre ator Domingos Montagner, de Velho Chico

Publicidade
Morreu na tarde desta quinta-feira o ator Domingos Montagner, de 54 anos, que interpretava Santo, um dos protagonistas da novela Velho Chico (Globo). A informação foi confirmada pelo Corpo de Bombeiros da cidade de Canindé do São Francisco, em Sergipe, onde o ator participaria das gravações da obra até o dia 18 de setembro. Montagner nadava nas águas do rio São Francisco quando foi arrastado pela correnteza. “Ele estava tomando banho de Rio com a atriz Camila Pitanga quando a correnteza o levou”, disse o coronel da Polícia Militar Fábio Fonseca Rolemberg – que confirmou a informação ao jornal Extra. A atriz conseguiu nadar até uma pedra e ainda tentou puxar o colega, mas não conseguiu. Domingos deixa a mulher, Luciana, e três filhos.

Equipes de socorro da região, que está na fronteira de Sergipe e de Alagoas, saíram ao resgate do ator por volta das 14h30. Integrantes do Corpo de Bombeiros e do Grupamento Tático Aéreo (GTA) advertiram de imediato que a área onde ele havia desaparecido era de difícil acesso. O soldado da PM Carlos Santos, que participou das buscas, afirmou ao portal UOL: "O local do desaparecimento foi o pior lugar para se tomar banho. Ali há um desencontro das águas e formam-se redemoinhos. Realmente é onde o rio é mais complicado, há vários retornos da água". O corpo do ator foi encontrado preso nas pedras a 30 metros de profundidade.
Domingos Montagner, o Santo da novela Velho Chico. Foto: El País

Sucesso no circo e no teatro

O episódio mobilizou milhares no Brasil durante a tarde, com o desaparecimento do ator liderando a lista de temas mais comentados das redes sociais. A tragédia traz uma cruel semelhança com a trama de Velho Chico, onde o personagem de Domingos Montagner passou alguns capítulos desaparecido até retornar para os capítulos finais da novela, que termina em duas semanas.

Apesar do sucesso tardio na TV, Montagner teve carreira longa como ator de teatro, palhaço e artista circense, segundo informações no site do ator. Ele começou no curso de interpretação de Myriam Muniz e no Circo Escola Picadeiro. Em 1997, formou com Fernando Sampaio, em São Paulo, o Grupo La Mínima, que tem 12 espetáculos no repertório. Um deles, A Noite dos Palhaços Mudos, lhe rendeu o Prêmio Shell de Melhor Ator em 2008. Na peça, escrita por Laerte, três palhaços são perseguidos por uma seita que tenta exterminá-los. Paralalemente à atuação no teatro, ele criou em 2003 o Circo Zanni, do qual foi diretor artístico.

Montagner estreou na TV no seriado Mothern, do canal por assinatura GNT, em 2006. As primeiras participações na Rede Globo aconteceram quatro anos depois, nos seriados Força Tarefa, A Cura e Divã. Seu début em novelas foi em Cordel Encantado, de 2011, pela qual recebeu os prêmios Contigo e Melhores do Ano na categoria Ator Revelação. Outro papel de destaque na carreira de Domingos foi o do presidente Paulo Ventura, protagonista da minissérie Brado Retumbante, de 2012. No mesmo ano, ele ainda atuou na novela Salve Jorge, de Glória Perez, e participou de Gonzaga - de Pai Pra Filho, seu primeiro longa-metragem.

Camila Moraes e Gustavo Moniz, El País
Publicidade