Maternidade faz mutirão de ginecologia

Publicidade

 Nossa Senhora da Penha comemora um ano de reinauguração

Após a chegada do quinto filho, que hoje está com três meses, Rosilene Azevedo da Silva, de 29 anos, resolveu que chegou a hora de realizar a laqueadura – procedimento cirúrgico, também conhecido por ligadura de trompas, feito com objetivo contraceptivo, que impede definitivamente a mulher de ter filhos.

Ela, juntamente com outras 300 mulheres, são esperadas na Maternidade Nossa Senhora da Penha, entre os dias 26 e 30 de setembro no ‘Mutirão de Ginecologia’. A atividade faz parte da comemoração do primeiro ano de funcionamento da maternidade, desde a sua reinauguração, em 25 de setembro de 2015, e também integra a programação do ‘Mutirão Mais Saúde’, realizado pelo Governo do Estado.
Após o 5º filho, Rosilene Silva aproveitou para realizar o procedimento de laqueadura
Após o 5º filho, Rosilene Silva aproveitou para realizar o procedimento de laqueadura. Foto: Handson Chagas
Didiane Coelho fez o exame preventivo e já está cadastrada para cirurgia pelo Mutirão
Didiane Coelho fez o exame preventivo e já está cadastrada para cirurgia pelo Mutirão. Foto: Handson Chagas
“Eu tive três filhos na Penha. O de três meses nasceu aqui após a reinauguração. Nem se compara o que vemos hoje com a estrutura de antes. Quando soube que teria o mutirão, logo vi que poderia confiar no atendimento que receberia, e hoje vim fazer o cadastro para a
laqueadura”, contou Rosilene, moradora do bairro Alto da Esperança, região do Itaqui-Bacanga.

O mutirão acontecerá em três etapas, sendo realizados nesse primeiro momento, dessa segunda-feira (26) até a próxima quarta-feira (28), o cadastro e exames preventivos. Segundo a coordenadora de enfermagem, Waneska Feitosa, na semana também serão promovidas palestras sobre planejamento familiar e abordagens voltadas para os colaboradores da unidade.

“A oferta desses exames e das cirurgias de laqueadura, é uma forma de a maternidade prestar mais um serviço relevante para a comunidade. Serão operadas mulheres de risco habitual, após passar por uma criteriosa avaliação obstétrica. O objetivo é facilitar, para aquelas que realmente puderem fazer a cirurgia, o acesso a esse procedimento”, explicou Waneska Feitosa.

O resultado do exame preventivo sairá com cerca de 10 dias. Após o resultado as mulheres serão encaminhadas para a segunda fase do mutirão, que consistirá na avaliação médica dos exames, análise de riscos, como doenças crônicas, e, assim, o encaminhamento para o procedimento cirúrgico. No final do mês de outubro terão início as cirurgias ginecológicas, sendo realizados sete procedimentos por dia, duas vezes por semana.

Didiane Daniele Martins Coelho, de 25 anos, disse que após a chegada do terceiro filho, não foi difícil chegar à decisão de fazer a laqueadura. “Soube pela minha avó que teria esse mutirão e acho bom poder aproveitar, pois seria mais demorado conseguir. Eu pensei que teria que fazer em algum lugar particular. Ter essa oportunidade em uma unidade como a Penha foi maravilhoso”, garantiu a jovem.

Para realizar o cadastro para a cirurgia de laqueadura, além dos documentos de identificação e do cartão do SUS, as mulheres precisam ter em mãos a autorização do planejamento familiar, por meio de documento escrito e firmado, após a informação a respeito dos riscos da cirurgia, possíveis efeitos colaterais, dificuldades de sua reversão e opções de contracepção reversíveis existente.

Segundo o Art. 10 da Lei sobre o planejamento familiar nº 9.263 de 12 de janeiro de 1996, somente é permitida a esterilização voluntária em homens e mulheres com capacidade civil plena e maiores de vinte e cinco anos de idade ou, pelo menos, com dois filhos vivos, desde que observado o prazo mínimo de sessenta dias entre a manifestação da vontade e o ato cirúrgico.

Maternidade Nossa Senhora da Penha

No primeiro ano de reinauguração da Maternidade Nossa Senhora da Penha, foram realizados 7.867 diagnósticos em laboratório clínico, 6.051 procedimentos de enfermagem, 4.513 consultas de enfermagem, 4.512 atendimentos em serviço social, 1.565 internações e 1.451 partos.

A maternidade foi reinaugurada pelo Governo do Estado no dia 25 de setembro de 2015, no bairro do Anjo da Guarda, beneficiando 58 bairros da área Itaqui-Bacanga e uma população de 250 mil habitantes.

Mariana Martins
Publicidade