Fóssil da Via Láctea é descoberto

Publicidade
Um resquício fossilizado do início da Via Láctea foi revelado por uma equipe internacional de astrônomos do Observatório Europeu do Sul, organização intergovernamental de pesquisa em astronomia.

Chamado de Terzan 5, o "fóssil" está a 19.000 anos-luz da Terra. O sistema estelar contém estrelas muito semelhantes às mais antigas da Via Láctea e ajuda a entender o passado da nossa galáxia.

Terzan 5 é considerado pelos astrônomos como um 'fóssil' da Via Láctea
Terzan 5 é considerado pelos astrônomos como um 'fóssil' da Via Láctea. Foto: European Southern Observatory
De acordo com o observatório, astrônomos descobriram que em Terzan 5 há dois tipos diferentes de estrelas, que não se distinguem apenas pelos elementos que contêm, mas pela diferença de idade de cerca de 7 bilhões de anos.

Essa diferença indica que o processo de formação de estrelas em Terzan 5 não foi contínuo, mas consequência de duas explosões distintas.

"Isso requer que o antepassado de Terzan 5 tenha grandes quantidades de gás para uma segunda geração de estrelas e seja bastante grande - pelo menos 100 milhões de vezes a massa do Sol", disse ao site do observatório Davide Massari, coautor do estudo e integrante do INAF (Instituto Nacional de Astrofísica) da Itália.

Essas propriedades fariam do Terzan 5 o candidato ideal para ser um "fóssil" dos primeiros dias da Via Láctea. Isso porque teorias atuais sobre formação de galáxias supõem que grandes conglomerados de gás e estrelas interagiram para formar a protuberância primordial da Via Láctea, se fundindo no processo.

BBC Brasil e Terra
Publicidade