Escolta policial a coletivos reforça ações

Publicidade
Os ônibus de transporte coletivo vão circular normalmente e não haverá suspensão do transporte público na região metropolitana de São Luís. A decisão foi tomada em reunião, na manhã desta quarta, 28, entre representantes da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP-MA), do Sindicato das Empresas de Transporte (SET) e do Sindicato dos Rodoviários (Sttrema). Foi garantida aos empresários e trabalhadores do sistema, uma escolta policial permanente e por tempo indeterminado nos ônibus. A medida, que já está em vigor, reforça as operações ‘Cerco Total’, ‘Exôdus’ e ‘Busca Implacável’, em execução pela SSP e que combatem especificamente ocorrências nos coletivos.
Reunião com Jefferson Portela e Sindicatos
Reunião com Jefferson Portela e Sindicatos. Foto: Gilson Teixeira
“Essa escolta segue como uma ação de comando e se soma às demais operações para prevenir esses atos criminosos e garantir aos trabalhadores e cidadãos a devida proteção”, disse, Jeferson Portela, secretário estadual de Segurança Pública. Integram o trabalho o policiamento Militar, Civil e Corpo de Bombeiros, além da Guarda Municipal, grupamento de segurança da Prefeitura de São Luís. “Cada efetivo vai agir com sua medida de intervenção e a Guarda Municipal também compõe um grupamento de Segurança. Eles serão apoio em pontos estratégicos para acionar as Forças armadas do Estado e assim impedir os atos criminosos”, explica Portela.

Na reunião, representantes do Sttrema relataram casos, apontaram pontos críticos e com possibilidades de ocorrências e sugeriram medidas a serem aplicadas. “Tivemos a garantia da segurança dos trabalhadores e confiando nestas medidas da polícia vamos manter as atividades. Não haverá recolhimento da frota”, afirmou o presidente do Sttrema, Isaias Castelo Branco. Ele reconheceu os esforços das polícias e destacou o compromisso da Segurança com as demandas dos rodoviários. “Compreendemos que a polícia não pode estar em todos os lugares e mesmo efetuando prisões, os suspeitos logo estão nas ruas. O que esperamos é que mais essa medida possa conter os marginais e trazer tranquilidade aos trabalhadores”, ressalta Isaías Castelo Branco.

Escoltas

Na escolta, os policiais em viaturas vão acompanhar os coletivos em certo trajeto, realizar monitoramento nos pontos finais e fazer revista no interior dos veículos. Nos horários mais críticos serão acionados policias de folga que terão devida remuneração para essas horas extras de atividade. O comandante-geral da Polícia Militar, coronel José Frederico Pereira, informou que foram identificados vários envolvidos com este tipo de ato e que brevemente estarão presos. “Esse trabalho de contenção vai durar enquanto for necessário. Estamos executando todas as medidas necessárias. A polícia não vai baixar a guarda”, reforçou coronel Pereira. Ainda na quarta, o coronel reuniu com os comandos da Polícia Militar para discutir o andamento dos trabalhos.

Presentes à reunião estavam presentes ainda na reunião o delegado geral de Polícia Civil, Lawrence Melo; o subcomandante da Polícia Militar, Jorge Luongo; o superintendente de Polícia Civil da capital, Armando Pacheco; e o presidente do Sindicato das Empresas de Transportes (SET), José Luís Medeiros.

Sandra Viana
Publicidade