Bairro Bequimão ganha unidade do Cras

Publicidade
O Governo do Estado entregou mais um equipamento de Centro de Referência de Assistência Social (Cras) em São Luís. Localizado no bairro do Bequimão, o Cras atenderá famílias oriundas de 27 bairros, com um público referenciado de cinco mil pessoas, e com capacidade para atender a uma média mensal de 300 pessoas.

O subsecretário da Sedes, Francisco Oliveira Junior, representando o governador Flávio Dino, destacou a importância dos Centros de Referência de Assistência Social para a sociedade, por ser porta de entrada para os principais programas de assistência oferecidos pelo poder público.

Lula Filho representou a Prefeitura de São Luís. Foto: Honório Moreira
“Estamos encerrando a primeira etapa de entrega dos Centros de Referência de Assistência Social, com 63 prédios inaugurados em todo o estado. O governador Flávio Dino estipulou a meta de 159 Cras entregues até 2017, e estamos trabalhando para alcançá-la. Lutar pelo direito da assistência social da população é algo prioritário em nossa gestão, e estamos felizes por estarmos conseguindo.”

Atualmente, a cidade de São Luís conta com 20 unidades de Cras, onde a população recebe diariamente atendimentos na área social, psicossocial, participa de oficinas e cursos de capacitação profissional. Esses equipamentos também têm facilitado o acesso da população a vários programas de beneficiamento social.

A beneficiária Conceição Batista, de 70 anos, agradeceu o novo equipamento do Cras que irá atender as pessoas com mais comodidade. “O Cras antigo era pequeno, tinha pouco espaço pra muita gente. Agora com tudo novo, todo mundo será atendido nas suas necessidades.” Conceição tem um filho tetraplégico que ganhou uma cadeira de rodas motorizada através do programa de assistência. “O Cras é muito importante para nós porque ele nos dá atenção, resolve muito dos nossos problemas. Meu filho tem todo o acompanhamento que ele precisa aqui e eu sou muito feliz e grata por isso.”

Os Cras e Creas, além de serem a porta de entrada para os programas sociais do Governo do Estado, como Bolsa Família e Pronatec, tem uma equipe especializada, entre assistentes sociais e psicólogos que realizam atendimento a crianças e adolescentes vítimas de violência ou que cometeram ato infracional, vítimas de trabalho infantil e famílias nas mais distintas vulnerabilidades sociais.

“A entrega da sede própria do Cras neste território tem um significado especial, já que o equipamento, que antes funcionava na Vila Palmeira, mudou por duas vezes de endereço. Agora as famílias da região passam a ter uma referência de trabalho em assistência social, com endereço fixo e estrutura física adequada para a oferta de oficinas, palestras, programas, projetos e serviços. Por fim, ressaltamos o compromisso desta gestão em qualificar cada vez mais os serviços da rede socioassistencial para a população de São Luís”, disse a titular da Secretaria Municipal de Assistência Social, Andreia Lauande.

Representando a Prefeitura de São Luís, Lula Filho destacou a importância da parceria entre município e estado para atender as necessidades da população. “As pessoas precisam cada vez mais de dignidade diante do contraste social em que vivemos. Com o Cras nós estendemos a mão nos momentos em que elas mais precisam, sejam de uma assistência para os filhos, criança ou adolescente, ou para os pais idosos, ou mesmo em alguma situação de vulnerabilidade. Esse é o papel do poder público diante da sociedade, e estamos trabalhando para cumpri-lo da melhor forma”, destacou.

Na unidade do Bequimão, foi investido R$ 440 mil reais, distribuídos na construção, mobília e equipamentos do prédio. O presidente da Associação de Cegos do Bequimão, Jadson Bulhões, parabenizou pela nova estrutura e disse que o Cras representa uma evolução para as políticas públicas destinadas a deficientes físicos. “A equipe busca unir forças para sermos atendidos e para que a inclusão se faça presente. Só temos a ganhar com as novas instalações, aqui somos bem atendidos mesmo diante das dificuldades que geralmente enfrentamos nos órgãos públicos por sermos cegos”, disse o presidente.

Doriane Menezes
Publicidade