500 mortes é executado no Costa Barros

Publicidade

Hierarquia ordena a execução de mais um líder no Complexo da Pedreira

A hierarquia do tráfico no Complexo da Pedreira (ADA) executou mais um comparsa que tinha cargo importante na comunidade.

Dessa vez sobrou para o traficante/assaltante de "500 Mortes", criminoso que atuava na Favela da Quitanda (ADA) em Costa Barros, e que atualmente estava liderando os "bondes" que eram encarregados pelos assaltos para abastecer os cofres do Complexo da Pedreira (ADA).

Há pouco tempo atrás, o próprio 500 era encarregado pelo tráfico de drogas e roubos na Quitanda, na companhia de"17" e ainda de Tiroteio (preso) e Peludinho (preso).
500 mortes foi executado no Complexo de Costa Barros
O seu crime para ferir a hierarquia de Costa Barros, foi ter tentado entregar o traficante Gordão, frente da Quitanda e chefe do Morro da Caixa D'água em São João de Meriti.

O Traficante Gordão perdeu milhares de reais, e investigando o quê tinha ocasionado essa perda, descobriram que um membro de dentro da Quitanda (ADA) estava se passando por Informante (x9).

Como hoje o Gordão é chefe do tráfico na Quitanda (ADA) ele não teve qualquer compaixão pelo seu comparsa, e ordenou que executassem!

Direto da Aldeia Global recomenda leitura:
Guerra no Turano aterroriza moradores

Há quem diga que hoje o Gordão ganhou respeito entre os assaltantes e traficantes da Quitanda, pois está abastecendo a comunidade com armas e drogas, e principalmente o dinheiro dos assaltos, que são recorrentes. Quem será o próximo?

Lembrando que há semanas, o traficante Betinho caiu no Complexo da Pedreira, mas diferente do informado, ele não foi executado, apenas se retirou de Costa Barros e está integrando o tráfico no Morro da Primavera (ADA) em Cavalcanti, na zona norte do Rio de Janeiro.

Crime News
Publicidade