Maranhão perde Jomar Moraes, mas sua obra é imortal

Publicidade
O Governo do Maranhão lamenta o falecimento do escritor, pesquisador e professor Jomar Moraes. Natural do município de Guimarães, Jomar tinha 76 anos e estava internado no Hospital São Domingos, com problemas de pressão, desde o último sábado.

Bacharel em Direito pela Universidade Federal do Maranhão, Jomar Moraes atuava ainda como ensaísta, cronista, crítico e historiador. Começou a carreira profissional como soldado da Polícia Militar do Maranhão (PM-MA) e chegou a ser diretor da Biblioteca Pública Benedito Leite e Secretário de Estado da Cultura do Maranhão.

O velório será realizado na Academia Maranhense de Letras (AML), onde ocupava a cadeira de número 10. Neste momento de dor, o Governo do Maranhão se solidariza com os familiares, amigos e admiradores de Jomar Moraes.

+GovernoMA 

Nota do editor da Aldeia: O Maranhão perde um de seus grandes intelectuais. Um general da nossa história!

Jomar Moraes, sua obra permanece imortal
Jomar Moraes, sua obra permanece imortal. Foto: Academia Maranhense de Letras

Publicidade