Hospital registra +50 consultas no 1º dia

Publicidade
O Hospital Macrorregional Tomás Martins de Santa Inês começou a atender os primeiros pacientes ambulatoriais neste final de semana. As especialidades cirurgia, pediatria, ortopedia e clínica geral estão com agenda aberta para marcação de consultas, e já nas primeiras horas da sexta-feira, um dia após a inauguração da unidade, contabilizou 55 consultas. Pediatria e cirurgia foram as especialidades mais procuradas.

No primeiro dia de funcionamento, ambulatório do Hospital de Santa Inês registra mais de 50 consultas‏
Sala de espera no ambulatório do Hospital Tomás Martins. Foto: Vanessa Moreira
Joana Lemos levou o filho, Luís Gustavo, de 4 anos, pela primeira vez ao pediatra. O pequeno Luís ficou encantado ao entrar na ala pediátrica, que foi toda decorada com desenhos infantis para tornar o momento da consulta divertido e tranquilo. “Ele não ficou nervoso quando entramos no consultório, pelo contrário, não queria deixar o local. Estou aliviada porque sei que agora meu filho vai ter um atendimento médico digno e humanizado”, disse Joana.

Com equipamentos modernos, exames laboratoriais e de imagem e oito equipes médicas, o Hospital Tomás Martins está apto para atender toda a população da região. Serviços como estes dão tranquilidade a Teodora Sousa, que aguarda há oito meses por uma cirurgia no baço. “Não tem nem previsão para me operar no hospital municipal e todo dia sinto fortes dores. Cheguei há poucas horas no Macrorregional e já fui prontamente atendida e com data certa para minha cirurgia. É um alivio imenso saber que posso contar com uma assistência desse nível no meu município, que era sempre esquecido no quesito saúde”, comemora Teodora.

Antes da chegada do hospital, a população da região contava apenas com a unidade saúde municipal e quatro clínicas particulares, resultando na demora na marcação de consultas e procedimentos cirúrgicos e constantes idas a São Luís. A dona de casa Márcia Aguiar, ao saber do novo hospital, recordou das repetidas viagens que fez a capital do estado para se consultar. “Era muito dispendioso e cansativo ir a São Luís toda semana para me consultar em especialidades simples, mas que demoravam quase dois meses para marcar em Santa Inês. Me sinto segura e aliviada com esse hospital grande e completo que o Governo do Estado trouxe para minha gente. Além da comodidade, não vou gastar dinheiro com viagens a capital”, festeja Márcia.

No primeiro dia de funcionamento, ambulatório do Hospital de Santa Inês registra mais de 50 consultas‏
Márcia, agora sem gastar.. Foto: V. Moreira
Além do serviço pediátrico, ortopedia, cirurgia e clínica médica, cardiologia, gastroenterologia, neurologia, nefrologia estão à disposição da população, que pode contar com a realização de exames específicos como ultrassonografia, endoscopia, raio X e tomografia. A área total do hospital é de 16.200 metros quadrados e área construída, de 5.525,72 metros quadrados.

Com relação aos exames, o destaque vai para endoscopia devido ao ineditismo na região que, pela primeira vez, será guarnecida com o exame dentro da rede pública de saúde. A demanda, assim como as demais contempladas no hospital, foi mapeada para atender as necessidades prioritárias da regional de saúde de Santa Inês.

Para o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, a estrutura ampla e completa do Tomás Martins, permite mais assistência à população, principalmente no contexto da média e alta complexidade. “Aqui em Santa Inês, o Hospital Macrorregional atende um público diverso, o que inclui também o atendimento infantil. Vamos dispor, ainda, de diversas especialidades médicas, para que as pessoas tenham atendimento médico gratuito, amplo e de qualidade”, afirmou Carlos Lula.
Publicidade

Publicidade