Dia Nacional de Combate ao Fumo

Publicidade
No ‘Dia Nacional de Combate ao Fumo’, o Governo do Estado, por meio do Departamento de Atenção à Saúde do Adulto e Idoso (Dasai) da Secretaria de Estado de Saúde (SES), realizou um café da manhã com a imprensa para apresentar a exposição sobre os 10 anos de tabagismo no Brasil e no Maranhão e, também, lançar a campanha #MostreAtitude. A mostra, exibida nesta segunda-feira (29), na Casa do Maranhão, em São Luís, revelou os malefícios e a queda do consumo de cigarro na capital.

A data de combate ao tabagismo, instituída pela Lei nº 7488/1986, foi criada com o objetivo de conscientizar e mobilizar a população sobre os riscos decorrentes do uso do cigarro. Em São Luís, segundo dados da Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), houve uma queda no índice de fumantes. Os dados apontam que o tabagismo é menos frequente entre os homens em Fortaleza (8,6%), Salvador (9%) e São Luís (9,3%), e no público feminino em São Luís (2,5%), Palmas (3%) e Teresina (3,1%). Dentre as capitais, São Luís aparece como a terceira com mais ex-fumantes, sendo a primeira no ranking de ex-fumantes do sexo feminino. Além disso, São Luís é a primeira capital com uso de 20 ou menos cigarros por dia.

As imagens do combate ao fumo na lente de Julyane Torres

As imagens do combate ao fumo na lente de Julyane Torres

As imagens do combate ao fumo na lente de Julyane Torres

As imagens do combate ao fumo na lente de Julyane Torres

As imagens do combate ao fumo na lente de Julyane Torres

A chefe do Dasai da SES, Tereza Carvalho, afirma que a redução da quantidade de fumantes na capital se deu às constantes campanhas realizadas pelo Governo do Estado e que a vigilância de combate ao fumo deve estar sempre em alerta. “A intenção de promover ações como esta é levar informação para a população e para a imprensa, que é multiplicadora de conteúdo, visando uma melhor qualidade de vida e ambientes livres do cigarro. Aproveitamos datas pontuais como esta para divulgar a redução de consumo e informar, também, sobre os centros de referência de tratamento no estado e onde a população deve buscar ajuda profissional”, esclareceu Tereza.

Doenças causadas pelo fumo

O Ministério da Saúde (MS) aponta que o tabagismo é responsável por 25% das mortes por angina e infarto do miocárdio, 90% dos casos de câncer no pulmão, 25% das doenças vasculares (entre elas, o Acidente Vascular Cerebral) e 30% das mortes decorrentes de outros tipos de câncer (de boca, laringe, faringe, esôfago, estômago, pâncreas, fígado, rim, bexiga, colo de útero e leucemia).

Para o secretário adjunto de Atenção Básica e Vigilância Sanitária, Marcelo Rosa, as estratégias estaduais de combate ao fumo têm focado nas principais doenças que acometem o fumante como forma de sensibilizar quem consome o tabaco. “As doenças causadas pelo tabagismo são invisíveis, então a melhor saída é parar de fumar imediatamente, antes de desenvolver uma destas doenças. Os médicos afirmam que o corpo humano leva de um a dois anos para limpar os resíduos deixados pelo cigarro num ex-fumante. Para aqueles que não fumam, vale a pena dizer que a nicotina é uma substância que vicia rapidamente. Experimentar um cigarro pode ser a porta de entrada para este perigoso vício”, alertou.

Campanha nacional

Inspirada nos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos, a campanha criada pelo Instituto Nacional do Câncer (Inca) para o ‘Dia Nacional de Combate ao Fumo’ aborda o tema #MostreAtitude, fazendo referência ao estilo de vida saudável adotado pelos atletas. De acordo com o Inca, que é um órgão do MS responsável pelo Programa Nacional de Controle do Tabagismo (PNCT), a prática de atividade física tem sido estimulada e se constitui em um aliado importante na cessão do tabagismo. Além disso, ex-fumantes são mais propensos a ter uma vida mais ativa que os fumantes e a prática de atividades físicas contribuem para diminuição dos sintomas de abstinência e mudanças de humor durante o processo de cessação, o que pode aumentar as chances de sucesso do tratamento.

Onde buscar tratamento

Em São Luís, o tratamento para fumantes está disponível no CAPS AD Monte Castelo, no Centro de Saúde AMAR, no Centro de Saúde Salomão Fiquene, no Centro de Saúde Clodomir Pinheiro Costa e no Centro de Saúde São Raimundo. O tratamento nesses locais é mantido pelo Ministério da Saúde, que repassa medicamentos ao Estado. Este, por sua vez, é responsável pela qualificação das equipes, monitoramento do trabalho nos Centros e pelo encaminhamento do material enviado pelo Ministério. Os municípios entram com a administração das unidades de saúde.
Publicidade

Publicidade