Agentes de endemias e carros fumacê no combate ao Aedes

Publicidade
O combate ao mosquito Aedes aegypti na capital conta com ações de dez carros fumacê. A Prefeitura de São Luís intensificou o combate ao mosquito, transmissor da dengue, da chikungunya e do Zica. Cerca de 330 agentes de endemias também atuam no trabalho de busca de criadouros. Durante a ação são realizadas visitas domiciliares, inspeções de prédios e eliminação e tratamento de criadouro do mosquito.
Clique na imagem e veja álbum da reportagem. Foto: Maurício Alexandre
O coordenador do Programa Municipal de Controle da Dengue, da Secretaria Municipal de Saúde (Semus), Pedro Tavares, explicou que além do trabalho de visita domiciliar os agentes estão realizado as ações de combate ao mosquito em pontos estratégicos como borracharias, cemitérios e ferro-velho. "Simultaneamente esta semana estamos trabalhando com as máquinas do fumacê, elegendo áreas prioritárias onde têm notificações de casos e alta infestação do Aedes", conta Pedro Tavares. Entre as áreas prioritárias estão os bairros da Cohatrac, São Francisco, Centro e Cidade Olímpica.

Mapeamento

Na próxima semana, segundo informou Pedro Tavares, será iniciado o Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRAa), instrumento que serve para traçar um panorama da situação em todo país, partindo das informações de cada município. O levantamento permite o direcionamento das ações de controle para as áreas mais críticas. O Ministério da Saúde (MS) determina que sejam realizados quatro LIRAa durante o ano.

Durante o levantamento são identificados os bairros onde estão concentrados os focos de reprodução do mosquito e os tipos de recipientes com água parada, que servem de criadouros. O índice utilizado no LIRAa leva em consideração o percentual de casas visitadas com larvas do mosquito Aedes aegypti.

Agência São Luís
Publicidade

Publicidade