Padrasto sangra enteado de 5 anos com ajuda da mãe e amigo

Publicidade

Crime aconteceu no domingo, 11 em Sumé-PB. Corpo foi encontrado na terça, 13

A Polícia Civil do Cariri acaba de prender o Pai de Santo Etin na cidade de Sumé. Ele confessou que matou a criança, muito provavelmente em ritual de magia negra, e confirmou que participaram do crime a mãe do menor, Laudenice dos Santos e o padrasto Daniel Ferreira dos Santos.

O pai de santo foi levado para a Delegacia de Monteiro com receio de linchamento por parte da população de Sumé. Segundo o delegado Dr. Rodrigo Monteiro, ele foi convincente em seu depoimento e detalhou a morte da criança.
Corpo de Éverton foi encontrado neste local em Sumé. Foto: TV Cariri
Segundo Pai Etin, o padrasto Daniel e o amigo Paulistinha tramaram a morte de Éverton e sua irmã, mas felizmente a menina conseguiu fugir. Eles, acompanhados da mãe do menor Laudenice dos Santos, levaram-no para um local conhecido como o Boqueirão de Sumé e lá fizeram um ritual que pode ser o de magia negra.

“O padrasto sangrou inicialmente o pescoço de Éverton, depois cortou seu corpo ao meio. Paulistinha foi apontado como o idealizador do brutal assassinato e a mãe da criança assistiu tudo friamente”, relatou o delegado Dr. Rodrigo Monteiro a partir do depoimento de pai Etin.

Éverton depois de morto teve seu corpo lavado no açude, seu sangue depositado em um balde e foi abandonado no local. Um dia depois, na segunda-feira (12), o padrasto Daniel pegou o corpo e o levou para o local onde foi encontrado, tendo sido inclusive visto por João Batista. Com esse relato, fica claro que João Batista não participou da morte do menor e acabou morrendo de graça nas mãos do padrasto Daniel.

A Polícia Civil disse que a investigação prossegue e agora serão conflitados os depoimentos dos supostos envolvidos, além da busca pela descoberta de qual ritual se quis fazer com a morte do menor.
Éverton, 5 anos, sangrado até a morte. Foto: TV Paraiba
De Olho Cariri
Publicidade