Kim Dotcom planeja novo partido nos EUA

Publicidade
Kerber Diego, Adrenaline

Apesar do pessimismo antes de ir para a corte, Kim Dotcom se deu bem, no final. O fundador do Megaupload está em prisão domiciliar na Nova Zelândia, e se defende no tribunal para não ser colocado novamente na prisão convencional. A justiça americana afirma que é preciso manter Dotcom atrás das grades pois há um risco de uma tentativa de fuga.

Entre os motivos deste pedido está a situação financeira de Kim Dotcom. O fundador do Megaupload teria lucrado US$ 40 milhões desde 2012, porém seu estilo de vida ostentador - vide foto que ilustra a matéria - e os custos de mais de US$ 10 milhões nas batalhas judiciais teriam "zerado suas contas bancárias", informação confirmada pelo próprio Dotcom. Para o governo americano, Kim teria dinheiro escondido, e esvaziar suas contas bancárias legítimas é parte de um potencial plano de fuga.

Kim Dotcom agora pretende lançar o Partido da Internet nos EUA
Nevin Dawson, juiz responsável por julgar o caso de Dotcom, recusou o pedido feito pela justiça americana, e afirmou que não há indícios que Kim Dotcom esteja em contato com antigos membros do Megaupload ou que planeja fugir. Dawson também não vê necessidade de uma prisão convencional, porém afirma que na atual condição de "falido", o risco de tentativa de fuga é real, então Kim está proibido de se deslocar através de helicóptero ou qualquer outro meio de transporte capaz de tirá-lo da Nova Zelândia, como avião ou barco. Dotcom também precisará dobrar suas visitas semanais à delegacia local.

Kim Dotcom irá enfrentar um processo de extradição no ano que vem. A justiça americana quer que Dotcom enfrente em tribunais nos Estados Unidos as ações por quebra de direitos autorais causados por seu site de compartilhamento de arquivos, o Megaupload. Entre as acusações contra Dotcom também está incluso lavagem de dinheiro e extorsão. Por não ter mais dinheiro nem uma equipe de advogados disponível, a justiça americana teme que Kim Dotcom fuja para escapar da possível extradição.

Planos políticos

Kim Dotcom fundou um partido em seu período na Nova Zelândia, o "Internet Party", ou partido da Internet, em tradução livre. O principal objetivo do partido é o surgimento de lideranças capazes de fazer a transição para um governo alinhado com a nova "Era Digital". Dotcom está participando da criação de um partido político nos mesmos moldes nos Estados Unidos, atuando como "relações públicas".
Publicidade