Carlos Gomes de Amorim, a perda de uma reserva moral

Publicidade
Carlos Gomes de Amorim
Carlos Gomes de Amorim, investido como prefeito de Imperatriz
Frederico Luiz

Desde cedo aprendemos sobre o valor das reservas. Dos nossos antepassados guardamos esse nosso lado formiga. Hoje, Imperatriz, o Maranhão e o Brasil perderam uma grande reserva moral com a morte do médico Carlos Gomes de Amorim, ex-prefeito da segunda maior cidade do Maranhão.

Fazia o estilo boa praça, de bem com a vida. Na estampa do rosto, o misto de preocupação e de alegria.  A preocupação em ajudar quem podia ajudar. A alegria de ver alguém feliz. Assim ensinou este médico, pioneiro na saúde pública tocantina quando chegou no Sul do Maranhão para inaugurar o hospital do extinto Sesp.

Desde a tarde de hoje, seu corpo é bem velado na Associação Médica de Imperatriz. Amanhã, será sepultado no cemitério Campo da Saudade.

Como prefeito, ainda na década de 70, deixou espalhada obras em diversos povoados e distritos que depois iriam se desmembrar de Imperatriz. A rodoviária de Açailândia, a grande escola da atual São Francisco do Brejão, somente para citar algumas. Nestes tempos, nem de longe os municípios brasileiros tinham o volume atual de transferência de recursos.

Fica o exemplo de Carlos Gomes de Amorim a quem conheci primeiro. Seu filho, o deputado estadual Carlinhos Amorim há de percorrer a mesma história de zelo e seriedade pelo patrimônio público.

Até mais ver, maestro Carlos Amorim!

Carlos Gomes de Amorim
Enterro de Carlos Amorim acontece amanhã, 10, às 16h, no Campo da Saudade. Velório é na Associação Médica
Publicidade

Publicidade