A jato: Roseana Sarney recebeu R$900 mil de propina

Publicidade

Suspeito de levar grana da Lava Jato a Collor, Roseana e parlamentares fará delação premiada, diz revista


R7

A operação Lava Jato da PF (Polícia Federal) já descobriu um complexo e bilionário esquema de corrupção dentro da Petrobras, mas faltava aos investigadores entender como o dinheiro ia parar nas mãos dos corruptos.

Veja

Reportagem da revista Veja deste sábado (13) indica que o leva-e-traz da quadrilha era Rafael Ângulo Lopez, braço-direito do doleiro Alberto Youssef, que está preso na PF em Curitiba desde março deste ano. Lopez já se ofereceu para fazer a delação premiada.

De acordo com a reportagem, Lopez era o responsável pela distribuição da propina. Para levar a grana, ele cobria o corpo com camadas de notas de dinheiro coladas ao corpo — com fita adesiva e plástico filme — e viajava em aviões comerciais de carreira para chegar ao seu destino.

Lopes tem dupla cidadania — brasileira e espanhola — e usava o passaporte para não levantar suspeitas. Segundo a Veja, Lopez contava com a ajuda de dois ou três parceiros quando precisava transportar volumes maiores de dinheiro.

Como o hispano-brasileiro prezava pela organização e contabilizava todas as entregas de dinheiro, segundo a revista, a PF o considera testemunha-chave para entregar a quadrilha toda.

Quem recebeu?

Segundo a revista, a lista de pessoas que receberam a grana suja da Lava Jato em espécie inclui um ex-presidente da República, tesoureiro de partido, deputados e ministros.

João Vaccari Neto, tesoureiro do PT, recebeu R$ 500 mil em dinheiro vivo das mãos de Ângulo Lopez. O dinheiro foi enviado em malas de viagem, em duas entregas feitas na sede do partido em São Paulo — a primeira com R$ 200 mil e a segunda, de R$ 300 mil.

O ex-presidente Fernando Collor de Mello também teria recebido dinheiro vivo, pelas mãos de Ângulo Lopez e a pedido de Youssef. Foram entregues nas mãos do senador, de acordo com a Veja, um maço de dinheiro no valor de R$ 50 mil.

Quando recebeu Lopez, Collor sugeriu espanto e questionou Lopes sobre “que encomenda” era aquela. O encarregado foi direto: “O senhor sabe o que é isso!”

A ex-governadora do Maranhão, Roseana Sarney, também teria embolsado dinheiro da Lava Jato, segundo a revista. Foram R$ 900 mil pagos em três parcelas. Segundo a reportagem, o entregador precisou de três viagens para levar R$ 300 mil de cada vez.

O pagamento faria parte de um acordo para liberação do pagamento de uma dívida de R$ 120 milhões do governo do maranhão com a construtora Constran. Em troca, o grupo criminoso pagaria uma propina de R$ 6 milhões.

O ex-ministro das Cidades no governo Lula Mário Negromonte, teria recebido “mesadas quinzenais” de R$ 150 mil das mãos de Ângulo em Brasília. De acordo com a Veja, o deputado Luiz Argôlo (PP-BA) recebia até R$ 600 mil na Bahia e em Brasília.

Outro recebedor das mãos de Ângulo Lopez era o deputado Nelson Meurer (PP-PR), que recebia uma “mesada”, segundo a Veja, de R$ 200 mil no quartel-general da quadrilha ou em locais que escolhia em Curitiba (PR).

Por fim, o ex-deputado André Vargas, cassado pela Câmara dos Deputados nesta semana e que está com os direitos políticos congelados até 2022, recebia mesadas de R$ 150 mil das mãos de Ângulo Lopez.

Todos os parlamentares e ex-parlamentares, a ex-governadora Roseana Sarney e o tesoureiro do PT negam conhecer ou ter contato com Ângulo Lopez. Já os advogados do entregador disseram que não iriam se manifestar porque o processo corre em segredo de justiça.
Publicidade