O blogueiro que queria ser Marquês

Publicidade
João Estrada Branco, Um Conto de Réis

Logo agora que ia me transformar no Marquês de Tocantins, o governador eleito Flávio Dino anuncia o fim do feudalismo no Maranhão e o início da Revolução Burguesa (Leia Aqui). Aff!

Já estava alegre com os vassalos que teria, condes, viscondes, barões e mesmo vilões. Seria o suserano deles. E ainda teria relação de vassalagem com duques, príncipes e o meu rei, o governador.

Os secretários seriam os duques. Márcio Jerry e Marcelo Tavares, os príncipes.

Mas, tudo acabou. Estava pronto para nomear três condes e quatro barões.

Agora, minha palavra de nada vale. Preciso seguir o contrato social, a lei que vale para todos, inclusive para os marqueses. Oh vida!

Liberdade, igualdade e fraternidade são as palavras da moda. Nada de Marquês-Sol ou A Aldeia sou eu!

São os novos ares que pairam pelo Maranhão. Para sorte do povo que deixou a servidão e passou a ser dono do seu próprio nariz. E para azar dos nobres do passado e dos ex-futuros nobres, como o que seria o Marquês de Tocantins.
Publicidade

Publicidade