Amarante: Produtores rurais podem ficar isolados

Publicidade
Gil Carvalho

Amarante, MA. Produtores rurais, moradores e agropecuaristas reclamam das péssimas condições de conservação das pontes de madeira sobre o rio Pindaré na divisa dos municípios de Amarante do Maranhão e João Lisboa, na região Tocantina. A reclamação é do líder comunitário Wilson Silva, o conhecido Wilson da Cikel.

Segundo ele, a má conservação das pontes de madeira prejudica a economia e deixa mais de 11 mil moradores em situação de isolamento, prejudicando o escoamento dos produtos agrícolas e da bacia leiteira da zona rural dos municípios de Amarante e João Lisboa.

“A travessia é feita de maneira arriscada, inclusive com registro de acidentes graves para quem desafia o perigo e faz a travessia nesses troncos de madeira”, disse ele, que propôs uma “força-tarefa” dos municípios de João Lisboa e Amarante do Maranhão para viabilizar a manutenção e substituição das peças de madeiras que ameaçam desabar.

Wilson da Cikel alerta que, caso nada seja feito pelas administrações municipais, a situação poderá se agravar durante esse período invernoso deixando mais de 10 mil pessoas praticamente isoladas. “Sem estradas e pontes para trafegar, o jeito é parar a produção para não acumular prejuízos”, assinala.

Ele assinala que dezenas de moradores dos povoados e assentamentos que ficam às margens da estrada vicinal correm riscos de ficarem em completo isolamento durante esse período invernoso que se aproxima na região Tocantina. “Nós pedimos socorro, pois sem estradas e pontes de madeira não teremos como escoar os nossos produtos”, finalizou.

Imagens

Sobre troncos de árvores, motoqueiro se arrisca na travessia da ‘ponte’ sobre o riacho Murajuba, na divisão de João Lisboa e Amarante do Maranhão.

Amarante

Amarante

Amarante

Amarante
Publicidade

Publicidade