8ª edição da Feira do Livro tem balanço positivo

Publicidade
Carolina Nahuz

São Luís, MA. A Prefeitura de São Luís encerrou, no último domingo (9), a programação da 8ª edição da Feira do Livro de São Luís (FeliS). De acordo com a Fundação Municipal de Cultura (Func), cerca de 150 mil pessoas visitaram o evento durante os dez dias de programação no bairro do Desterro. Ao todo, foram realizadas 66 palestras, 34 recitais poéticos, 44 sessões de filmes, 99 lançamentos de livros, oito exposições e 138 apresentações artísticas e teatrais, além de 42 estandes para comercialização de livros, que totalizaram R$ 1,1 milhão em vendas.

“Priorizamos este ano o público infantil, na programação da nossa Feira do Livro, justamente para reforçar o estímulo à leitura e à valorização cultural nas crianças desde cedo, para que sejam cidadãos mais bem preparados. Outro destaque importante desta edição foi o cenário do Centro Histórico, que fomentou o turismo e voltou os olhares para a beleza histórica dos casarões e da arquitetura do local”, disse o prefeito Edivaldo.

Com o tema “Literatura Infantil: aqui começa a magia da leitura”, a Feira do Livro conquistou visitantes de várias idades. Para o jornalista, Maycon Rangel, a FeliS consagrou-se definitivamente no calendário dos principais eventos culturais do estado. “A possibilidade de dialogar com os escritores mostra que a Literatura é algo próximo do nosso cotidiano e uma das artes mais encantadoras. Achei o evento um sucesso”, acrescentou.

A estudante Cristiane Sousa, 20 anos, ficou tão encantada com a 8ª edição do evento que visitou a FeliS mais de uma vez. “O tema, literatura infantil, é muito chamativo, e fez com que eu revivesse momentos da infância. Especialmente hoje, último dia, as atrações estão muito boas. Gostei do evento como um todo. Também comprei alguns livros, pois achei bem em conta”, disse.

Quem trabalhou na 8ª FeliS afirma que adquiriu experiências inesquecíveis. Vestida como a personagem Nega Maluca, a bibliotecária Conceição Carvalho garantiu a alegria dos pequeninos no Espaço Criança, organizado pela Secretaria Municipal de Educação (Semed). “As crianças, muitas delas da comunidade do Desterro, aguardavam ansiosas pelo horário de começarmos as atividades. Foram muitos dias de peças, oficinas e contação de histórias. Até eu voltei a ser criança”, afirmou.

O encerramento do evento contou com várias atividades, como o espetáculo teatral Pão com Ovo, da companhia Santa Ignorância, e a apresentação de um dos corais mais conhecidos do Maranhão, o Coral São João, que em seu repertório homenageou as crianças. O último dia da programação também incluiu um debate com foco no escritor Ubiratan Teixeira, um dos homenageados deste ano.

A vida e obra de Ubiratan Teixeira, falecido em junho, foi discutida no Espaço Café Literário por Tácito Borralho e Wilson Martins, amigos do escritor maranhense. Professor, crítico de arte, jornalista, ficcionista, diretor e autor de textos teatrais, o maranhense teve importante contribuição para a cultura local, tendo conquistado acento na Academia Maranhense de Letras.

Entre os outros homenageados desta edição estiveram a jornalista, professora, ativista, historiadora e pesquisadora Mundinha Araújo, uma das fundadoras do Centro de Cultura Negra do Maranhão; e o poeta Odylo Costa Filho (in memoriam), pelo centenário de seu nascimento. O patrono da FeliS foi o escritor Wilson Marques, escolhido por ser um nome sensível às questões ligadas à valorização da cultura local, com obras voltadas para o público infanto-juvenil.

O presidente da Fundação Municipal de Cultura (Func), Francisco Gonçalves, falou sobre a missão da FeliS em sintonizar a programação com o público. “Considero que a Feira apresentou vários aspectos positivos. Um deles é a vinculação da feira com a defesa e a revitalização de espaços do patrimônio histórico. Também considero que a curadoria foi muito feliz quando escolheu os patronos e o tema do evento, tudo voltado para o público infantil. A feira teve a cara das crianças”, afirmou.

Esse caráter de mobilização do público infantil foi reforçado com a visita de 10 mil alunos de 281 escolas da cidade. A palestra da escritora Marina Colassanti, que falou sobre o tema da 8ª FeliS e a explanação do escritor e cartunista Maurício de Sousa sobre o trabalho dele, contribuíram para sensibilizar os visitantes sobre a importância de incentivar a leitura desde a infância.

Coordenadora da Feira do Livro de São Luís pelo segundo ano consecutivo, a bibliotecária Rita Oliveira, atribuiu a aprovação do evento pelo público à concentração das atividades em um espaço mais seguro. “Em relação ao ano passado, melhoramos a estrutura. Conseguimos centralizar a maior parte da programação aqui no Convento das Mercês. Isso possibilitou mais segurança e aproximação entre as pessoas”, avaliou.

Todos os escritores destacados neste ano tiveram espaços batizados com os seus nomes, onde foram realizadas palestras, debates, espetáculos teatrais e lançamento de livros. Entre as obras divulgadas durante a Feira do Livro estiveram “Contos e lendas da terra do sol” do patrono da feira Wilson Marques; “Rede idiota e outros textos” do cantor maranhense Zeca Baleiro, que também lançou na feira seu primeiro álbum de músicas infantis, Zoró; entre outros 90 títulos de vários escritores.

As palestras também marcaram o evento, foram 66 explanações incluindo personalidades como Frei Betto, que abordou a temática “Direitos humanos e religião na literatura”; o poeta Pedro Tierra, que remexeu os baús do período da ditadura no país durante a palestra “Memória da Ditadura”; o escritor Pedro Bandeira, com a palestra “Como conquistar quem não gosta de ler”; entre outros destaques.

Sobre a FeliS

A 8ª Feira do Livro de São Luís (FeliS) foi iniciada no último dia 31 e encerrada neste domingo (9) no bairro do Desterro. O evento foi realizado pela Prefeitura, através da Fundação Municipal de Cultura (Func) e da Semed, e contou com a união de várias instituições, como o Serviço Social do Comércio (Sesc/MA) correalizador do evento; patrocínio da Vale; e apoio da Associação dos Livreiros do Estado do Maranhão (Alem) e Fundação da Memória Republicana Brasileira (FMRB).

Imagens do encerramento


FeliS

FeliS

FeliS

FeliS

FeliS
Publicidade

Publicidade