Tiroteio em Pedrinhas com quatro baleados

Publicidade

Três presos e um monitor são baleados durante tumulto


G1 e Jornal Pequeno

São Luís, MA. Um monitor foi baleado na manhã desta quinta-feira (4) na Penitenciária de Pedrinhas, no Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís. De acordo com informações passadas pela Secretaria de Segurança Pública do Maranhão, o monitor foi baleado por um preso. Outros três detentos ficaram feridos no tumulto.

Pedrinhas
Novo tumulto em Pedrinhas com feridos na manhã desta quinta
Os quatro homens foram retirados do local e levados para hospitais da capital. Os nomes dos feridos não foram divulgados até o momento. Após os tiros, homens do Grupo Tático Aéreo (GTA), da Força Nacional, do Grupo Especial de Operações Prisionais (Geop) e da Polícia Militar foram enviados para o local. Não há informações sobre motim.

Nesta quarta-feira (3), um princípio de rebelião foi registrado no Presídio São Luís 2, no Complexo Penitenciária de Pedrinhas. Alguns presos teriam ateado fogo em colchões da unidade prisional. Eles queriam um grupo do estado para negociar reivindicações, o que foi atendido.

Números

No dia 28 de agosto, um detento foi assassinado no Centro de Triagem do Complexo Penitenciário de Pedrinhas. Com o registro, subiu para 15 o número de presos mortos no Maranhão em 2014. Segundo relatório do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) apontou que 60 presos foram mortos no ano passado em todo o Estado.

A Secretaria de Estado de Justiça e Administração Penitenciária (Sejap) informou, por meio de nota, que os feridos foram socorridos e a situção está sendo controlada. Veja a nota na íntegra:

“A Secretaria de Estado de Justiça e Administração Penitenciária (Sejap) informa que na manhã desta quinta-feira (4), foi registrado um princípio de tumulto na Penitenciária de Pedrinhas em que um monitor de uma empresa terceirizada da unidade e três detentos ficaram feridos; todos imediatamente socorridos.

O Batalhão de Choque da Polícia Militar do Maranhão e o Grupo Especial de Operações Penitenciárias (GEOP) já estão no local. O Grupamento Tático Aéreo (GTA) também foi acionado.”
Publicidade