Escolas estaduais do Maranhão são reprovadas no Ideb

Publicidade
Ideb

Redação

Imperatriz, MA. Candidato do PMDB ao senado nesta eleição, Gastão Vieira se posiciona no horário eleitoral gratuito como um baluarte no setor da educação. Ele é deputado federal e ocupou por longos anos a pasta da Secretaria de Educação, reprovada no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica.

Quem empurrou a estagnação do Ideb foras as escolas públicas do ensino médio geridas pelo governo do Estado que tirou nota 3,0, menor do que em 2011 que foi de 3,1.

A rede privada aumentou em 0,2, a rede de ensino dos municípios responsável pelo primeiro ciclo do ensino fundamental ficou acima da meta, com 4,1.

Ideb de escolas maranhenses fica abaixo da meta no ensino médio


G1 MA

O Maranhão não atingiu a meta proposta pelo Ministério da Educação (MEC) para ser alcançada em 2013 no ciclo final do ensino fundamental (de 6º ao 9º ano) e no ensino médio, de acordo com o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), divulgado nesta sexta-feira (5) pelo Ministério da Educação.

O Ideb registrado em 2013 no ciclo final foi de 3,6 pontos, índice igual ao alcançado na edição anterior, mas abaixo da meta de 3,9 esperada pelo governo federal. No ensino médio, o Ideb registrado no estado foi de 3,0 pontos, menor que o alcançado em 2011 (3,1). O índice também ficou abaixo da meta de 3,3 pontos projetadas pelo MEC para o ano passado. Os índices reúnem as redes publicas (estadual e municipal) e privada.

Já a meta projetada no ciclo inicial do ensino fundamental (de 1º ao 5º ano) foi superada. O índice registrado em 2013 foi de 4,1 pontos, mesmo índice atingido em 2011 e acima também da meta projetada (4,0).

Públicas e privadas

O desempenho das escolas públicas maranhenses caiu em 2013 em relação ao Ideb de 2011. Há três anos, o índice chegou a 3,9. No ano passado reduziu para 3,8. Ainda assim, atingiu a meta prevista pelo MEC (3,8).

Já as escolas privadas registraram Ideb 0,2 melhor do que o registrado em 2011 (5,8). A meta projetada para 2013 foi de 5,9 para as escolas particulares.

O índice

Para chegar ao Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), o Ministério da Educação leva em conta fatores como: taxas de aprovação e reprovação, percentual de abandono escolar e desempenho na Prova Brasil. Ele criado pelo MEC para medir a qualidade no ciclo básico de ensino. O Ideb é feito a cada dois anos e já tem quatro edições (2005, 2007, 2009 e 2011).

Para chegar ao índice, o MEC calcula a relação entre rendimento escolar (taxas de aprovação, reprovação e abandono) e desempenho na Prova Brasil aplicada para crianças do 5º e 9º ano do fundamental e do 3º ano do ensino médio.

O Ideb possibilita analisar a qualidade da educação em uma determinada escola e nas diversas redes de ensino; no fundamental, é possível avaliar o desempenho dos municípios nas redes públicas e, no nível médio, o Ideb é divulgado por unidade federativa. Há também o Ideb Brasil, dividido entre as redes municipal, estadual e privada.
Publicidade