Estudiosos pesquisam história do cangaceiro Chico Pereira

Publicidade
Chico Pereira
Cangaceiro Chico Pereira
Epitácio Andrade

Natal, RN. No dia 27 de agosto de 2014, os pesquisadores Vanderli da Silva Patrício e Epitácio Andrade iniciaram no município de Currais Novos, no seridó oriental do Rio Grande do Norte, uma busca de dados e o reconhecimento de lugares de memória da história de um personagem ainda pouco conhecido na história do fenômeno do cangaço.

Trata-se do cangaceiro Chico Pereira, que se aliou a Lampião para saquear a cidade de Sousa, na Paraíba e foi morto, em 1928, pela polícia potiguar na margem direita do riacho maniçoba, na zona rural de Currais Novos, onde familiares ergueram um memorial, que é um lugar de visitação de turistas e interessados no resgate histórico do fenômeno do cangaço.

Os estudiosos realizaram uma visita ao tabelião substituto do primeiro cartório de notas, senhor Wendel Javas e localizaram a certidão de óbito do cangaceiro.

No fórum da comarca de Currais Novos, os estudiosos do cangaço tiveram acesso ao processo judicial referente à morte de Chico Pereira.

O trabalho tem o objetivo de subsidiar a formulação do candidato a deputado estadual Carlos Augusto Maia, que proporá uma audiência pública sobre a temática do cangaço e suas perspectivas para o desenvolvimento sustentável do Rio Grande do Norte.

Com uma história repleta de fatos controversos, a pesquisa de Vanderli e Epitácio, que recebe o incentivo e a orientação do experiente pesquisador currais-novense William Pinheiro intenciona elucidá-los, como também produzir conhecimento histórico-científico sobre o personagem, que é o protagonista do livro ¨Vingança, não”, de F. Pereira da Nóbrega, e é prefaciado pela escritora cearense Raquel de Queiroz, além de rastrear os lugares de memória de Chico Pereira, espalhados pelo interior do Rio Grande do Norte, contribuindo com a caracterização do legado de Chico Pereira para o patrimônio histórico-cultural potiguar.

Nota do Blog Cosmogonia: Epitácio, vem do grego, "Ofício de Estado". Não há nada do que se duvidar dele. Não conhece limites. É rápido em apaziguar conflitos. Epitácio Andrade é escritor, pesquisador social, médico psiquiatra e sanitarista.
Publicidade